person wearing gray socks near acoustic guitar

A relação entre a literatura e a música: obras que demonstram essa relação

A literatura e a música são duas formas de arte que se comunicam com o público através da palavra, do som e do ritmo. A literatura e a música podem se influenciar mutuamente, criando obras que combinam elementos de ambas as linguagens, ou que se inspiram em uma para criar a outra. A literatura e a música podem também se complementar, criando obras que se enriquecem com a presença de uma na outra, ou que se harmonizam com a interpretação de uma pela outra.

A relação entre a literatura e a música pode ser observada em vários aspectos, como nos autores e compositores, nas obras literárias e musicais, nos gêneros literários e musicais, nos estilos literários e musicais, nas formas de expressão e de recepção, entre outros. A relação entre a literatura e a música pode ser encontrada tanto em obras clássicas quanto em obras contemporâneas, tanto em obras nacionais quanto em obras estrangeiras, tanto em obras de ficção quanto em obras de não ficção.

Para ilustrar a relação entre a literatura e a música, selecionamos alguns exemplos de obras que demonstram essa relação. Confira:

O Som e a Fúria, de William Faulkner:

Esse é um dos livros mais importantes da literatura moderna, e que tem o seu título inspirado em uma frase da peça Macbeth, de William Shakespeare. O livro conta a história da decadência da família Compson, no sul dos Estados Unidos, no início do século XX, através de quatro narradores diferentes, que apresentam pontos de vista distintos e fragmentados sobre os mesmos fatos. O livro é uma obra de ficção que explora temas como o tempo, a memória, a identidade, a violência, a loucura, o racismo e o incesto. O livro é um romance experimental e inovador, que usa técnicas como o fluxo de consciência, o monólogo interior, a mudança de perspectiva, a quebra de linearidade, a mistura de estilos e a ausência de pontuação. O livro é uma obra que se assemelha a uma sinfonia, que cria uma harmonia a partir da dissonância, e que exige uma leitura atenta e sensível.

Canções de Inocência e de Experiência, de William Blake:

Esse é um dos livros mais belos e originais da literatura inglesa, e que reúne uma coleção de poemas ilustrados pelo próprio autor, que era também um pintor e gravador. O livro é uma obra de ficção que contrasta duas visões de mundo, a da inocência e a da experiência, representadas por duas séries de poemas, que abordam temas como a natureza, a sociedade, a religião, o amor, a morte, a liberdade e a imaginação. O livro é um romance lírico e simbólico, que usa uma linguagem simples e musical, mas que esconde um significado profundo e crítico. O livro é uma obra que se aproxima de uma canção, que combina a palavra e a imagem, e que encanta e provoca o leitor.

O Menino do Pijama Listrado, de John Boyne:

Esse é um dos livros mais emocionantes e impactantes da literatura contemporânea, e que foi adaptado para o cinema em 2008. O livro conta a história de Bruno, um menino de nove anos, que se muda com a sua família para uma casa isolada, perto de um campo de concentração nazista, durante a Segunda Guerra Mundial. Lá, ele conhece Shmuel, um menino judeu, que vive do outro lado da cerca de arame farpado, e que veste um pijama listrado. O livro é uma obra de ficção que retrata a inocência e a crueldade, a amizade e o ódio, a vida e a morte, através dos olhos de uma criança. O livro é um romance histórico e dramático, que usa uma linguagem simples e direta, mas que transmite uma mensagem poderosa e comovente. O livro é uma obra que se inspira em uma música, que é a canção “Schindler’s List”, composta por John Williams para o filme homônimo, que também aborda o tema do Holocausto.