Home Economize Fila de espera do Auxílio Brasil pode ser zerada temporariamente

Fila de espera do Auxílio Brasil pode ser zerada temporariamente

by Logan Nelson
.fb-comments,.fb-comments span,.fb-comments span iframe[style]{min-width:100%!important;width:100%!important}

A PEC das bondades pretende acabar com a fila de espera para o recebimento do Auxílio Brasil. Saiba mais!

.fb-comments,.fb-comments span,.fb-comments span iframe[style]{min-width:100%!important;width:100%!important}

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Um dos pontos tratados pela PEC (Proposta de Emenda à Constituição) das bondades do Governo Federal é sobre a fila de espera do Auxílio Brasil. A proposta é de zerar a fila no início do segundo semestre. Para isso, pretende-se adicionar mais de 1 milhão de pessoas na folha de pagamentos do benefício. Contudo, tal número seria incapaz de acabar com a espera, de acordo com dados da Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

Sendo assim, mesmo que o governo consiga esvaziar a fila de espera neste momento, não há nenhuma garantia de que ela siga vazia pelos próximos meses. O comprometimento do Executivo com a ação é para apenas a data em que a regra for publicada. Depois, não há mais obrigação. 

Nesse sentido, a medida não é eficaz uma vez que esse processo começaria a gerar uma outra fila de espera, com as pessoas que atendem aos critérios de inclusão e recebimento do auxílio mas ainda não foram sequer selecionadas.

Medida não atende a grande demanda do Auxílio Brasil

É importante lembrar que isso já aconteceu. Em janeiro deste ano, foi anunciado oficialmente que a fila de espera do benefício foi zerada. Porém, desde então, uma nova fila se formou e cresceu ainda mais com o passar do tempo. Segundo o Ministério da Cidadania, em maio, existiam mais de 700 mil brasileiros na lista de espera.

Sugestões para você

Os números são ainda maiores quando considerados os dados da CNM. De acordo com a organização, mais de 3 milhões de pessoas aguardavam por uma vaga na folha de pagamentos do Auxílio-Brasil. Para esvaziar a fila, o país precisaria de um incremento de R$ 1 bilhão no valor da PEC.

Até maio, cerca de metade dos municípios do país apresentavam registro de famílias em situação de pobreza e extrema pobreza que não estavam incluídas na lista de espera do programa. 

Diante do cenário econômico nacional, a demanda por assistência social cresce de forma acelerada e é maior que a capacidade do Auxílio Brasil. 

PEC das bondades

No caso do Auxílio Brasil, quando foi sancionado, o Governo Federal possuía mais de R$ 89 bilhões para destinar R$ 400 por família em um período de doze meses. Dessa forma, o montante seria suficiente para realizar os pagamentos para cerca de 18 milhões de brasileiros. 

Para conseguir incluir mais famílias para recebimento do auxílio, o governo precisa abrir uma nova fonte de custeio. É o que visa a PEC das bondades aprovada recentemente pelo Senado. 

A PEC das bondades prevê a inclusão de mais de 1,6 de famílias no Auxílio Brasil além da adição de R$ 200 no valor do benefício até dezembro deste ano. 

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças? 

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: rafapress / Shutterstock.com

Related Posts