Home Economize Inflação nos Estados Unidos atinge o maior nível em quatro décadas

Inflação nos Estados Unidos atinge o maior nível em quatro décadas

by Logan Nelson
.fb-comments,.fb-comments span,.fb-comments span iframe[style]{min-width:100%!important;width:100%!important}

Confira os motivos que elevaram a inflação nos Estados Unidos e quais são os possíveis fatores que alavancaram a alta nos preços.

.fb-comments,.fb-comments span,.fb-comments span iframe[style]{min-width:100%!important;width:100%!important}

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

No mês de junho, a inflação ao consumidor nos Estados Unidos aumentou 1,3% comparado ao mês de maio. Esses dados são parte do Índice de Preços ao Consumidor, publicado pelo Departamento do Trabalho na última quarta-feira (13/07).

Dessa forma, pode-se dizer que a inflação ficou acima do previsto pelos economistas. Levando em consideração o acumulado de 12 meses até junho, a inflação atingiu 9,1%, o maior índice desde novembro de 1981. 

Tal como no mês de maio, a inflação dos EUA foi séria, já houve alta nos preços de alimentos e combustíveis em todo o país. Assim, o preço do galão da gasolina chegou a US$ 5 pela primeira vez, de acordo com os dados da Associação Automobilística Americana. 

Quais são os fatores que contribuíram para a inflação nos Estados Unidos? 

Confira os quatro fatores principais para a alta nos preços dos EUA:

  1. Diminuição da oferta 

Primeiramente, com a pandemia da Covid-19, houve a paralisação de atividades e isso acabou com a demanda. Sendo assim, a fim de se adaptar as cadeias de produção, diminuíram o fornecimento de matérias-primas e isso causou um aumento generalizado nos preços. 

  1. Retomada da demanda 

Sugestões para você

Durante o período de quarentena, as despesas dos consumidores ficaram estagnadas, ou seja, as pessoas pararam de gastar como gastavam antes. Dessa forma, ao retomar as atividades, a demanda por produtos no país aumentou drasticamente, mas a oferta não acompanhou esse crescimento.  

Exemplo disso é o consumo mundial de petróleo, que no início de 2022 superou o nível pré-pandêmico. Isto é, de acordo com a Agência Internacional de Energia, o volume refinado ainda está abaixo do que estava em 2019. Dessa forma, os Estados Unidos que respondem por volta de um quinto da demanda mundial foram drasticamente afetados. 

  1. Aumento dos gastos de produção

A elevação dos custos de produção também é um fator importante quando se trata de inflação, já que a escassez da matéria-prima gera aumento de gastos. Assim, com este aumento, ocorre um “efeito cascata” na cadeia produtiva. 

Sendo assim, os alimentos, por exemplo, sofreram esse impacto da alta dos fertilizantes e outros diversos insumos necessários para produção agrícola. Vale ressaltar, ainda, que o lockdown da China em 2022 também foi catalisador dessa situação, tendo em vista que as entregas de mercadorias sofreram atrasos. 

  1. Incentivos financeiros 

Primeiramente, o governo do país tentou evitar a estagnação da economia em função da crise sanitária, distribuindo benefícios a negócios e consumidores. Exemplo disso foi a ação do Fed (Federal Reserve), que investiu US$ 500 bilhões para tentar conter os problemas de financiamento das empresas. 

Assim, a ação ficou marcada como um dos maiores estímulos financeiros da história do país. Além disso, outras medidas também foram tomadas, tais como o auxílio emergencial e o corte de impostos. 

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: DesignRage / Shutterstock.com

Related Posts