Home Economize INSS poderá ser impedido de cancelar auxílio e aposentadoria por invalidez

INSS poderá ser impedido de cancelar auxílio e aposentadoria por invalidez

by Logan Nelson
.fb-comments,.fb-comments span,.fb-comments span iframe[style]{min-width:100%!important;width:100%!important}

Responsável por defender o INSS na Justiça, a AGU aponta que a lei previdenciária prevê o corte dos benefícios após revisão.

Imagem: Joa Souza / Shutterstock.com

.fb-comments,.fb-comments span,.fb-comments span iframe[style]{min-width:100%!important;width:100%!important}

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) poderá ser impedido de cancelar auxílio-doença e aposentadoria por invalidez concedidos por meio de ação judicial após perícia realizada pelo próprio instituto. A decisão será tomada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O assunto está sob relatoria do ministro Herman Benjamin e deverá ser julgado como recurso repetitivo, ou seja, a decisão tomada irá valer para todos os casos do tipo no Brasil. O julgamento ainda não tem data para ocorrer.

De acordo com o STJ, existem mais de 200 processos com determinações diferentes entre si. Outras ações, cujo o tribunal não divulgou a quantidade, estão paradas, aguardando uma decisão final.

Tema que poderá impedir INSS de cancelar auxílio-doença e aposentadoria por invalidez é visto como controverso

Sugestões para você

O assunto está sendo analisado de duas maneiras. Algumas pessoas entendem que, por se tratar de uma decisão tomada na Justiça, o benefício por invalidez só pode ser interrompido se o INSS entrar com uma ação de revisão. Por outro lado, há o entendimento de que a revisão pode ser realizada de maneira administrativa, com corte da renda, após a perícia ser feita.

Do ponto de vista da advogada Adriane Bramante, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), o assunto é controverso. Adriane acredita que a tendência é que a revisão realizada no posto seja validada na Justiça.

“O INSS tem a prerrogativa de rever, de convocar o segurado para nova perícia e, se for constatado que ele não tem mais incapacidade laboral ou invalidez, há o direito de dar alta”, diz. “Se depender da Justiça para dar alta, eu acho que vai ficar comprometida a questão da operacionalização do benefício. Embora haja um laudo judicial comprovando a incapacidade permanente para o trabalho, o permanente é relativo na verdade”, completa Adriane.

O que diz a AGU, responsável por defender o INSS na Justiça

Responsável por defender o INSS na Justiça, a Advocacia-Geral da União (AGU) aponta que a lei previdenciária prevê o corte dos benefícios após revisão. De acordo com o órgão, o benefício é condicional e deve ser pago enquanto mantida a incapacidade do indivíduo. 

Dessa forma, o INSS defende a possibilidade da interrupção administrativa da “aposentadoria por incapacidade permanente [antiga aposentadoria por invalidez] concedida judicialmente após regular perícia médica”.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Joa Souza / Shutterstock.com

Related Posts