Home Economize PM é suspeito de criar pirâmide com criptomoedas em Goiás e lesar colegas policiais

PM é suspeito de criar pirâmide com criptomoedas em Goiás e lesar colegas policiais

by Logan Nelson

Um PM está sendo investigado após colegas denunciarem um possível esquema de pirâmide com criptomoedas em Goiás. Segundo apuração, ele prometia grandes lucros com supostas operações de moedas digitais, apostas esportivas, entre outros.

Na última quinta-feira (28), o suspeito foi preso no estado após vir a tona seu possível esquema.

Cerca de 20 policiais da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitana (ROTAM), do 1.º Comando Regional da Polícia Militar estão entre as vítimas do golpe.

Vale lembrar que altas promessas de lucros rápidos são comuns em esquemas de pirâmides financeiras. Isso porque, em mercados de renda variável com alta volatilidade, é impossível prever o comportamento de preço dos ativos.

Dessa forma, promessas de 10%, ou 30% ao mês, são formas de captar recursos de forma fraudulenta com investidores.

PM é preso e acusado de montar pirâmide de criptomoedas em Goiás para colegas da ROTAM

Um cabo da PMGO que foi preso na última quinta agora recebeu denúncias do Ministério Público do estado de Goiás, após uma possível fraude contra seus colegas da ROTAM.

Ele criou grupos de mentorias de investimentos para que seus colegas confiassem em seu trabalho, com criptomoedas, apostas esportivas e aplicações em renda variável. Essa situação teria iniciado ainda em 2021, quando os PMs começaram a operar em uma plataforma criada pelo suspeito.

Em apostas esportivas, por exemplo, haviam promessas de lucros entre 30% e 50% nas operações, indicando que os ganhos eram fáceis e rápidos. A abordagem era feita diretamente com seus colegas da Polícia Militar, que eram convencidos a realizar aportes mínimos de 10 mil reais para iniciar suas atividades.

Após alguns pagamentos de rendimentos, a plataforma em que os PMs depositaram os valores começou a travar saques. Ao procurar o cabo suspeito, ele informou que problemas técnicos foram detectados.

Mesmo assim, ele pediu que as vítimas depositassem mais R$ 2 mil cada, para que os valores fossem liberados para eles. Desconfiados, os PMs não aceitaram as novas condições e pediram o dinheiro de volta, aguardando até dezembro de 2021 para recuperar os valores.

O prejuízo estimado supera o R$ 1 milhão, de acordo com informações divulgadas pelo jornal Metrópoles sobre o caso.

Justiça Militar de Goiás mandou bloquear bens do PM

Com a prisão do suspeito e denúncia oferecida pelo MPGO, a Justiça Militar do Estado de Goiás mandou bloquear todos os bens do PM acusado de criar uma pirâmide com criptomoedas.

Na decisão, bens encontrados no Brasil e no exterior devem ser bloqueados e colocados a disposição da justiça para ressarcimento das vítimas.

Related Posts