Home Economize Regras obrigam investidor a manter ações da Eletrobras e do Nubank mesmo com perdas

Regras obrigam investidor a manter ações da Eletrobras e do Nubank mesmo com perdas

by Logan Nelson
.fb-comments,.fb-comments span,.fb-comments span iframe[style]{min-width:100%!important;width:100%!important}

Alguns investimentos da Eletrobras e do Nubank ficaram estagnados devido a aplicação de “lock up” pelas empresas. Entenda melhor.

.fb-comments,.fb-comments span,.fb-comments span iframe[style]{min-width:100%!important;width:100%!important}

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Recentemente, investidores da Eletrobras e do Nubank ficaram impedidos de vender suas ações por um tempo, mesmo diante de um cenário de prejuízos das empresas. A medida é conhecida como “lock up” e trata-se de uma cláusula contratual que determina um período no qual ficam proibidas as vendas das ações.

No caso da Eletrobras, o bloqueio de vendas permanece por um ano. Já para os acionistas do Nubank, o lock up terminou em 17 de maio para todas as ações, exceto para os BDRs (Brazilian Depositary Receipt) concedidos pelo programa NuSócios, o que deve ocorrer só em dezembro. 

Os beneficiados pelos BDRs do NuSócios correm o risco de ver o preço da ação despencar e perder totalmente o valor do benefício uma vez que não podem realizar nenhum tipo de negociação durante esse período. 

Medida é para conter o movimento de “flipagem”

De acordo com analistas de investimentos, a medida é fundamental para evitar o movimento de “flipagem” que ocorre quando o investidor adquire cotas por IPO (oferta inicial) e follow on (quando a empresa já possui capital aberto na Bolsa e emite mais ações subsequentes) e realiza vendas no mesmo dia em que foram inseridas no mercado. 

Sugestões para você

O “lock up” é uma tática utilizada pelas empresas que obriga o investidor a pensar a longo prazo. Além disso, ele posterga a pressão sobre o valor da ação quando a oferta é feita, o que possibilita a apresentação de fundamentos sólidos e confiáveis por parte da companhia.

Fica a critério da empresa definir o tempo de duração do “lock up” e se ele deve ocorrer ou não. Em alguns casos, os acionistas até podem vender suas ações mas são obrigados a pagarem multas. Nesse sentido, na maioria das vezes não compensa realizar a venda e optar pelo pagamento de multas. 

Vantagens e desvantagens para o investidor

Por um lado, a medida deixa estagnado o patrimônio do investidor que fica impedido de negociar por um tempo. Contudo, impede que a cotação caia significativamente nos primeiros dias depois da oferta devido ao grande número de ações colocadas à venda. 

Porém, na maioria dos casos, a medida funciona apenas como um adiamento, uma vez que com o final do “lock up”, os investidores colocam suas ações no mercado para venda, o que impacta no valor dos papéis da mesma forma.

Segundo os analistas, essa determinação não garante necessariamente um cenário positivo ou negativo para o mercado futuro de ações. Está mais relacionada com a convicção do investidor em deixar os papéis por mais tempo, para possivelmente, obter mais ganhos. Eles afirmam que quem investe na Bolsa, precisa pensar a longo prazo.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças? 

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Billion Photos / shutterstock.com

Related Posts