Home Economize Salário mínimo de 2023 gera debates no Congresso Nacional

Salário mínimo de 2023 gera debates no Congresso Nacional

by Logan Nelson
.fb-comments,.fb-comments span,.fb-comments span iframe[style]{min-width:100%!important;width:100%!important}

LDO com novo salário mínimo deve ser votada nos próximos dias, confira o valor previsto

.fb-comments,.fb-comments span,.fb-comments span iframe[style]{min-width:100%!important;width:100%!important}

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

O Congresso Nacional deve votar, nos próximos dias, o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). O texto aborda o novo valor do salário mínimo para 2023, que pode ficar na faixa de R$ 1294. O valor atual do piso nacional é de R$ 1212, e com o reajuste teria um aumento de R$ 82. No entanto, algumas projeções apontam que esse valor pode ser alterado.

Para seguir a inflação atual e acompanhar as estimativas para o próximo ano, o reajuste no valor precisa ser de R$ 98,17, o que resulta em R$ 1317, segundo a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia. O real valor só será divulgado no final deste ano. Essa projeção leva em conta dados do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), adotado como base para a correção nos anos anteriores. 

Salário mínimo não é satisfatório em 2022

O valor do salário mínimo é definido de acordo com estimativas do INCP (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e neste ano, ficou em 10,02%, abaixo da média oficial. 

O reajuste causa impacto em diversas áreas da economia, como os benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), o imposto do DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional) e, principalmente, no poder de compra dos brasileiros.

Mesmo sendo o maior nos últimos seis anos, o reajuste não significou aumento no poder aquisitivo do trabalhador brasileiro. Com a inflação global crescente, a possibilidade de compra está em queda. 

Sugestões para você

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), medidor oficial da inflação do país, acumula alta de 4,72% neste ano. Serviços, como aluguel, energia elétrica e contas de telefone, acompanham essa alta, o que impossibilita as famílias brasileiras de se manterem no mesmo patamar que anos anteriores. 

De acordo com os dados do IPCA, em 5 anos, o real perdeu 31,32% de seu valor e, consequentemente, do seu poder de compra. 

Essa situação é ainda mais complicada para a população de baixa renda, uma vez que apenas os itens da cesta básica representam 55% do valor do salário mínimo. Em São Paulo, no último mês, em determinados locais a cesta básica chegou a ultrapassar o valor mínimo do piso nacional. 

Como é calculado o poder de compra?

O Índice Geral de Preços de Mercado (IGPM) é calculado mensalmente pela FGV (Fundação Getulio Vargas). Ele serve como um dos indicadores da inflação no país e por meio dele é possível verificar o poder de compra. 

Se os dados do IGPM apontarem um aumento, significa que o dinheiro passa a ter menor valor. 

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças? 

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: rafastockbr / Shutterstock.com

Related Posts